20 anos que copamos o Brasil!

Por: Torcida Mancha -

Luiz Felipe Scolari tinha assumido o comando do Palmeiras no meio de 1997 e levou o time ao vice campeonato brasileiro.

1998 chegou e a esperança era de grandes conquistas. Arce, Paulo Nunes e Arilson chegaram pra reforçar a equipe. Viola foi embora.

No Rio/SP fomos eliminados pelo São Paulo na semifinal, nos pênaltis. No Paulistão, eliminados também nas semifinais, para o mesmo SPFC.

Durante a campanha do Paulistão, teve aquele lance inusitado do Oséas marcando gol contra de cabeça, no empate contra o Corinthians. Na partida seguinte, fomos goleados pelo Mogi Mirim por 4 x 1, em pleno Parque Antarctica.

Como de costume as cornetas soaram no Palestra. O time só tinha mais uma esperança no 1° semestre que era a Copa do Brasil.

Antes ainda dos jogos contra o Corinthians e Mogi Mirim, tínhamos perdido para o Botafogo, no jogo de ida nas oitavas de final da Copa do Brasil. Tínhamos que reverter em casa.

Abalado pelo gol contra e depois da derrota para o Mogi Mirim, Oséas foi para o banco. O jovem Chris assumiu o comando do ataque. Pouco mais de 10 mil torcedores estiveram no Palestra para conferir a vitoria do Verdão por 1 x 0, com um gol improvável do zagueiro Agnaldo Liz no 2° tempo. Classificamos.

Nas quartas de final passamos pelo Sport Recife, já com o ponta Almir no lugar do Chris, e pegamos o Santos na semifinal. No primeiro jogo (no Palestra) um empate por 1 x 1, com Oséas entrando no decorrer do jogo e marcando o gol de empate no 2° tempo.

A volta foi realizada na Vila Belmiro. O meia Alex era o desfalque, o criticado meia Darci entrou no seu lugar. Depois do gol no 1° jogo, Oséas voltou ao time titular no lugar do Almir. Logo aos 2 minutos, Viola marcou para o Santos. Aos 9, Oséas empatou. Veio o 2° tempo e o Darci acertou um chutaço no ângulo e colocou o Verdão em vantagem. O Santos precisava virar o jogo pra se classificar, Argel chegou a empatar aos 47 do 2° tempo mas era tarde. Palmeiras na final.

O adversário era o Cruzeiro. Primeiro jogo foi terça-feira a noite, em Minas, 1 x 0 pros mineiros, com gol de Fábio Jr. O jogo da volta foi marcado para o dia 30/05, um sábado frio e com forte garoa.

Desta vez, o lateral Arce era o desfalque, Neném foi o titular. Logo aos 12 min de jogo, Clebão fez lançamento longo para Oséas pela ponta direita, o atacante passou pelo defensor e cruzou para Paulo Nunes fazer 1 x 0 pro Palmeiras.

O resto do jogo foi um confronto amarrado com as duas equipes não se arriscando muito. O resultado de 1 x 0 para o Palmeiras levava o jogo para os pênaltis, até que aos 44 min do 2º tempo, o atacante Almir (que entrou no lugar de Paulo Nunes) sofreu falta na intermediária do ataque. Alex já tinha sido substituído pelo Arilson, e o Zinho, que minutos antes tinha acertado uma cobrança de falta no travessão, ajeita a bola novamente e bate a falta … Sem muita força, pela longa distância, a bola bate no gramado antes de chegar às mãos do goleiro Paulo César e ele acaba soltando a bola, rente à linha de fundo. Oséas corre pra bola, um defensor e o goleiro vão em direção do Oséas, Almir entra livre na pequena área. Era só Oséas rolar a bola e Almir marcaria o 2º gol, mas Oséas resolve bater pro gol, mesmo sem ângulo.

Entre a bola sair do pé do Oséas e estufar a parte de cima da rede, foram alguns segundos de silêncio e de uma ameaça de xingamentos, logo convertidos para o grito de GOL, algo do tipo: “não chut…GOOOOOOLLLLLLLLLL”.

Palmeiras 2 x 0, resultado que dá ao Verdão o título de campeão, ainda no tempo normal. Era a nossa primeira conquista da Copa do Brasil!!!

Essa é a foto dos atletas que estavam relacionados para o jogo final.

Estão nela: Marcos, Velloso, Agnaldo, Neném, Rogério, Roque Jr, Junior, Clebão, Chris. Almir, Pedrinho, Oseas, Galeano, Paulo Nunes, Alex, Zinho e Arilson.

CURIOSIDADES

– Além dos atletas que estão na foto oficial do título, também participaram da campanha: Arce, Darci, Junior Tuchê, Taddei, Pimentel, Ferrugem, Wagner, Lauro, Jorginho e Thiago Gentil.

– A contratação do meia Darci foi muito criticada pelos palmeirenses, porque anos antes, o meia, ainda no Grêmio, foi responsável por um pontapé no rosto do atacante Mirandinha, que afastou o grande destaque do Palmeiras dos gramados por um longo período.

Veja também...