Domingo, vai ter um joguinho aí…

Por: Torcida Mancha -

A Mancha Verde dessa vez não vai estar lá, pelo fato de o jogo ser com torcida única, mas vamos relembrar algumas grandes vitórias alviverdes em cima do nosso maior rival.

“ZUM, ZUM, ZUM… É 21”

22 de dezembro de 1974, 2º jogo da decisão do Campeonato Paulista daquele ano. De um lado o campeão do turno, Corinthians. Do outro lado o campeão do returno, Palmeiras. O primeiro jogo da decisão havia terminado empatado em 1 x 1.

O Corinthians vinha pressionado pelo imenso jejum de 20 anos sem títulos, o último havia sido em 1954, com Oswaldo Brandão de treinador e sob o nosso Palmeiras. Desta vez, Oswaldo Brandão era o treinador palmeirense e tínhamos uma grande equipe, bicampeã brasileira em 1972/1973.

24 minutos do 2º tempo , bola alçada na área, Leivinha ajeita de cabeça e o mineiro Ronaldo marca, de voleio, 1 x 0 Palmeiras.

Logo depois do gol, falta perigosa para o rival. Rivellino cobra com força e a bola acerta em cheio o rosto de Dudu. O volante palmeirense cai desmaiado no gramado. Valdir de Moraes grita do banco de reservas (já era o treinador de goleiros). Dudu é levado de maca para fora de campo. Atendido pelos médicos, não consegue abrir o olho. De repente o técnico Oswaldo Brandão se aproxima, joga um bocado de éter na cara do Dudu e fala: “Acorda velhinho, vamos para o jogo!”. Dudu prontamente se levanta e volta para a partida.

4 minutos depois da volta do Dudu, outra falta para o Corinthians. Rivellino ajeita a bola e Dudu é o primeiro a se posicionar na barreira. Os jogadores do Palmeiras se olham, a torcida vibra na arquibancada. O árbitro Dulcidio Wanderley Boschillia se aproxima e tira Dudu da barreira. Rivellino chuta pra longe do gol.

A torcida palmeirense faz a festa e canta: “Zum, Zum, Zum … é 21”, em referência aos 21 anos de fila do rival. PALMEIRAS CAMPEÃO!!

“1,2,3… O CORINTHIANS É FREGUÊS!”

27 de Agosto de 1986. Noite fria no Morumbi e mais de 100 mil torcedores presentes. Um dia antes o Palmeiras completava 72 anos de existência.

Palmeiras x Corinthians decidiam vaga na final do Paulistão 86. No primeiro jogo, um verdadeiro assalto. O Corinthians venceu por 1 x 0, mas o Palmeiras foi extremamente prejudicado pelo arbitro Ulisses Tavares da Silva que expulsou o meia Edu Manga, em campo, e o goleiro Zetti e o zagueiro Amarildo, no banco de reservas, por reclamação de um pênalti escandaloso não marcado, em lance onde o zagueiro corintiano Edvaldo defende com as mãos chute certeiro do atacante Mirandinha.

O Palmeiras precisava vencer o rival no tempo normal e assim forçar a prorrogação para decidir se iria passar para a final. Jogo nervoso, o Palmeiras pressionando e o Corinthians se defendendo. Temos em campo Vagner Bacharel, Gerson Caçapa, Mendonça, Jorginho Puttinatti, Edmar, Éder e no banco Carbone. Foi um massacre, mas a bola não entrava de jeito nenhum. Ora batia na trave, ora o goleiro Carlos defendia.

No 2º tempo o técnico Carbone trocou um centroavante por outro. Saiu Edmar, entrou Mirandinha. 42 minutos do 2º tempo, falta para o Palmeiras. Jorginho levanta na área, o lateral Diogo tenta de cabeça, o goleiro Carlos rebate e a bola bate na canela de Mirandinha e entra no gol. A Mancha explode na arquibancada do Morumbi.

Na prorrogação um verdadeiro baile. Primeiro Mirandinha humilha o zagueiro Paulo e marca o 2º gol e para finalizar com chave de ouro, Éder marca um golaço olímpico, com a bola fazendo uma curva como poucas vezes se viu.

Final 3 x 0 Palmeiras. E este jogo ficou conhecido como o “JOGO DA JUSTIÇA”, por causa do assalto no primeiro jogo.

“CHORA, VIOLA, IMITA O PORCO AGORA!”

Depois de 1993, o Dia dos Namorados passou a ter outro significado para os palmeirenses. Naquele finalzinho de tarde, num sábado, 12/06/1993 o Palmeiras escreveu um dos capítulos mais bonitos de sua história.

Desde o Paulista de 1976 o Palmeiras não conquistava um título de expressão. Estávamos na final do Paulistão 93, mais uma vez contra o nosso maior rival. No primeiro jogo, 1 x 0 pro Corinthians, com direito a comemoração do Viola imitando o porco.

Aquela comemoração estava engasgada na memória de todo palmeirense. Fomos para o 2º jogo com uma motivação a mais. Em campo tínhamos um time muito superior ao rival: Antonio Carlos, Roberto Carlos, Cesar Sampaio, Zinho, Edmundo, Evair, Edilson, etc … uma verdadeira constelação.

Coube ao canhoto Zinho marcar de perna direita, o primeiro gol da partida, aos 36 min ainda do 1º tempo. No segundo tempo foram mais 2 gols palmeirenses, de Edilson e Evair. Os 3 x 0 no tempo normal, levaram o jogo para a prorrogação. Aí quem vencesse seria o campeão paulista.

Aos 9 minutos do 1º tempo da prorrogação, pênalti para o Palmeiras. O nosso camisa 9, Evair, vai pra bola e com enorme categoria, goleiro de um lado, bola de outro, marca o gol que daria o título ao Verdão. 4 x 0.

Nas arquibancadas a Mancha festeja e provoca o rival: “CHORA VIOLA, IMITA O PORCO AGORA!”

“RECORDAR É VIVER, RIVALDO ACABOU COM VOCÊS”

No ano seguinte, Palmeiras x Corinthians se enfrentam na decisão do Brasileirão 94. O primeiro jogo ocorre no dia 15 de dezembro, no estádio do Pacaembu. E foi neste dia que, definitivamente, Rivaldo caiu nas graças dos palmeirenses.

O meia atacante havia jogado o primeiro semestre no rival Corinthians e não tinha ido tão bem quanto foi em 1993 pelo Mogi Mirim. No meio de 1994, o Palmeiras resolve contratá-lo, para substituir o colombiano Rincón.

Rivaldo vinha fazendo um bom campeonato, mas nada espetacular até então. No primeiro jogo da final, foi decisivo. Marcou 2 golaços, um com direito a caneta pra cima do zagueiro Henrique. O Palmeiras venceu por 3 x 1. O outro gol foi marcado pelo animal Edmundo.

No 2º jogo o Corinthians precisava vencer por 3 gols de diferença. Vencia por 1 x 0 até os 36 min do 2º tempo, quando Rivaldo empatou o jogo e acabou com qualquer esperança do rival

Ao final do jogo, a Mancha canta: “RECORDAR É VIVER, RIVALDO ACABOU COM VOCÊS!”

“MARCOS PEGOUUUUUU”

Quartas de final da Copa Libertadores 1999. Confronto entre Palmeiras x Corinthians.

 

Na primeira partida o Palmeiras venceu por 2 x 0, gols de Oséas e Rogério. O goleiro titular do Palmeiras era o Velloso, que num treinamento acabou fraturando o dedinho e impedido de jogar essa partida. O reserva imediato era o Sérgio, mas após conversa com o preparador Carlos Pracidelli, Felipão decide escalar Marcos para esta partida. E Marcos jogou como poucos. Fechou o gol e foi eleito o melhor jogador da partida.

No dia 12 de maio, as equipes realizaram o 2º jogo. O rival precisava vencer por diferença de 2 gols para levar a decisão para os pênaltis e assim o fez.

Fomos para as penalidades. Rincón começa cobrando e converte para o rival. Arce empata para o Palmeiras. Na sequência Dinei chuta no travessão e desperdiça. Evair coloca o Palmeiras em vantagem, 2 x 1. Vampeta é o 3º corintiano a cobrar e São Marcos se faz presente e defende a cobrança. Rogério converte pro Verdão e Silvinho desconta, 3 x 2. A 4ª cobrança está nos pés de Zinho, que com categoria marca e coloca o Palmeiras na semifinal da Libertadores.

Na sequência o Palmeiras se sagra campeão da Libertadores e pela primeira vez um goleiro é eleito o melhor jogador da competição: SÃO MARCOS!!!

“TOMA DISTÂNCIA MARCELINHO PRA COBRANÇA, ELE BATE MUITO BE… DEFENDEEEUUUU MARCOOOOSSS”

Mais uma vez Palmeiras x Corinthians se enfrentam na Taça Libertadores. O ano é 2000 e o confronto é pelas semifinais.

Neste ano o rival tinha um time com mais nomes de destaque: Dida, Kleber, Vampeta, Ricardinho, Edilson, Luizão e Marcelinho Carioca. O Palmeiras vinha com um time bastante reformulado, com um ataque formado por Euller, Pena e Marcelo Ramos, liderados por Marcos, Júnior, Cesar Sampaio e Alex.

O primeiro jogo foi um grande confronto. O rival venceu por 4 x 3, com um gol do Vampeta aos 45 min do 2º tempo.

No jogo da volta o Palmeiras precisava ganhar para levar a decisão para os pênaltis, mais uma vez. Saímos na frente com Euller, mas o rival logo empatou e virou o jogo para 1 x 2 com 2 gols de Luizão. Aos 14 min do 2º tempo, Alex empata de novo para o Palmeiras.

O jogo vai se tornando dramático. O Palmeiras precisava da vitória. Aos 27 min do 2º tempo falta para o Palmeiras. O time todo vai para a área. Alex cobra a falta e a bola passa por toda defesa corintiana e parecia que sairia em tiro de meta, quando Galeano apareceu nas costas do zagueiro Adilson para se jogar na bola e marcar, ajoelhado de cabeça, o gol que daria a vitória para o Palmeiras, no tempo normal. Galeano entra para a história e o jogo vai para os pênaltis.

O Palmeiras começa cobrando. Marcelo Ramos faz 1 x 0. Ricardinho empata. As duas equipes têm ótimo aproveitamentos. Para o Verdão marcaram também Roque Júnior, Alex, Asprilla e Júnior. Para o rival marcaram também Fábio Luciano, Edu e Índio.

Marcelinho Carioca foi para a última cobrança rival. No rádio José Silvério comenta: “Ele bate muito bem”. O camisa 7 corre pra bola sem olhar para Marcos e bate no canto direito do goleiro … José Silverio grita: “DEEEEEEFENDEUUUU MAAAAARRRCOOOOSSSS”, o Morumbi mais uma vez explode com a comemoração alviverde. Palmeiras na final da Libertadores.

“ACABOU, PETROS!”

Mais uma vez Palmeiras x Corinthians numa semifinal. Desta vez é pelo Paulistão 2015.

Jogo único, na casa do rival, por este ter melhor campanha.

O Palmeiras vem se reestruturando e a vitória seria fundamental para dar confiança e motivação nessa reestruturação.

Em campo, logo aos 14 minutos de jogo, Victor Ramos coloca o Palmeiras na frente. Antes ainda do final do primeiro tempo, o rival vira o jogo com gols de Danilo e Mendoza.

Foi um dos últimos clássicos em que tivemos a presença da torcida visitante e a Mancha estava lá, fazendo o seu papel, cantando e empurrando o Palmeiras.
O Palmeiras não conseguia chegar ao gol adversário. Aos 25 minutos do 2º tempo, o técnico Oswaldo de Oliveira resolve fazer 2 mudanças de uma só vez. Coloca o atacante Kelvin no lugar do zagueiro Wellington (que estava improvisado na lateral esquerda) e o jovem Gabriel Jesus, de 17 anos, no lugar do meia Valdivia.

E foi com a participação dos 2 atletas que o Palmeiras chegou ao empate. Gabriel Jesus roubou a bola, passou para Arouca, que abriu na esquerda para o Kelvin. Kelvin passou para o Dudu e correu em direção à linha de fundo, confundindo a marcação adversária. Dudu cortou pro meio e cruzou de perna direita para Rafael Marques empatar o jogo de cabeça. Mais uma vez vamos para os pênaltis.

Para o Corinthians marcam: Fabio Santos, Renato Augusto, Fagner, Ralf e Gil. Para o Palmeiras marcam: Rafael Marques, Victor Ramos, Cleiton Xavier, Dudu, Kelvin. Robinho perde para o Palmeiras e Fernando Prass defende a cobrança de Elias.

Já nas cobranças alternadas, o zagueiro Jackson cobra e coloca o Palmeiras em vantagem: 6 x 5.

Petros vem cobrar para o rival. O goleiro Fernando Prass, vai próximo ao batedor e fala: ACABOU, PETROS.

Petros toma longa distância. Prass volta para o centro do gol e aponta para o seu lado esquerdo, repetindo “ACABOU”. Petros corre pra bola e bate justamente no canto esquerdo do PRASS que pula e faz a defesa, colocando o Palmeiras na final do Paulistão 2015.

Na comemoração, os jogadores do Palmeiras correm em direção a MANCHA e comemoram juntos com a nossa torcida.

 

E DOMINGO ESPERAMOS QUE A HISTÓRIA CONTINUE FAVORÁVEL A NÓS! É dia de jogo no nosso salão de festas.

Veja também...


Criado e desenvolvido por Claudio Melo