Dra. Silvia – Símbolo de dignidade

Por: Torcida Mancha -

Um anjo que durante um tempo caminhou conosco e voltou para o céu!

Desfilou, torceu e ajudou… E como ajudou a MANCHA VERDE e a todos que tiveram o privilégio de conviver com essa mulher incrível. Pode ser simples e importante assim o resumo da Dra. Silvia para a entidade Mancha Verde.

 

Nasceu no dia 04 de dezembro de 1966.

Na época áurea da Academia de Futebol mais uma palestrina vinha ao mundo. Passaram-se alguns anos para começar a conviver com a Mancha Verde, foi no final dos anos 90 e início dos anos 2000 que se envolveu de vez e para sempre na entidade Mancha Verde.

Ela se formou em direito, exercia a função de advogada e ali na torcida precisava muito exercer essa função. Passou a ser a advogada da torcida Mancha Alvi Verde.

A Silvia tinha a essência da bondade, de querer ajudar, se preocupava com a Mancha e com “seus meninos” que virava e mexia arrumavam alguma encrenca para ela resolver na Justiça.  Só que a Doutora se preocupava com a vida pessoal de cada um. O amor que ela sentia pela Mancha transbordava e contagiava. E alguns presidentes tiveram o suporte e conselho da Dra. Silvia.

André Guerra quando assumiu em 2008 e Marcos Ferreira sempre deram ouvidos e atenção à doutora. E a influência da Silvia abrangia muito além do que podíamos imaginar.

Houve um tempo em que a escola e a torcida conviviam, mas não viviam a mesma situação.

E nos tempos da escola e da torcida quem vivia os dois mundos era a Dra. Silvia. Ela fazia parte da harmonia da escola de samba e colaborava demais. Assim que o Marquinhos assumiu a Harmonia convidou Silvia para fazer parte e ganhou ao seu lado uma conselheira e amiga.

Tivemos alguns momentos complicados e, sem a calma dela, talvez a tormenta fosse pior. A Silvia transitava com respeito entre todos os setores da escola de samba, todos os departamentos adoravam a Silvia.

E seus meninos na torcida passaram por uma fase terrível na covardia da Inajar. E como a doutora ficou triste com a perda daqueles meninos. Ela sofreu, mas se manteve forte e dando forças a todos.

A sua força atravessava a rivalidade de torcidas organizadas. Quando um dos líderes da Dragões da Real foi assassinado de forma covarde pela polícia em Brasília, a doutora deu assistência, apoiou e esteve ao lado do pessoal da Dragões.

E todas as torcidas tinham um apreço por ela e pelo seu jeito carismático, carinhoso e atencioso. Não podia ficar só na Mancha e ela veio nessa vida para ajudar, e quem conhece o mundo de organizadas sabe que no fundo todos querem a mesma coisa. E assim a Dra. Silvia foi fazer parte da Associação Nacional das Torcidas Organizadas (ANATORG), que é uma instituição de 100 torcidas do Brasil, com objetivos comuns, visando reverter o cenário desfavorável às organizadas. E a doutora era diretora jurídica e também membra da CONSEGUE do Ministério do Esporte.

Carnaval, futebol e amizade ao lado dos seus filhos e familiares eram os alicerces dela.

Dia 11 de janeiro de 2015

Tantas datas, tantos dias dentro dos 365 que temos no ano, justamente nessa data a Dra. Silvia se foi. O dia do aniversário de fundação da Mancha Verde. Deus escolheu essa data para levar o seu anjo de volta e para marcar uma entidade para todo sempre. O dia de comemorar o nosso aniversário de fundação é o dia para lembrar de um anjo chamado Silvia.

Doutora, sentimos sua falta e nesse dia 04 de dezembro você iria completar 51 anos. Feliz aniversário, esteja aonde estiver, pois sabemos que está olhando por nós e sentimos sua presença.

E fica aqui a nossa homenagem, fica aqui a nossa gratidão eterna.

Dra. Silvia – Símbolo de dignidade

 

Curiosidades:

– A doutora Silvia é irmã da Dulcinei que por sua vez é esposa do Rogério Carneiro (vice-presidente da Escola de Samba Mancha Verde). O seu sangue ainda está presente na nossa entidade.

– Após o seu falecimento o Ministério do Esporte colocou a seguinte nota de pesar:

Nota de pesar pela morte da advogada Silvia Chioroglo

O Ministério do Esporte lamenta o falecimento de Silvia Carbonaro Chioroglo, advogada que trabalhava em parceria com o Ministério do Esporte como representante das torcidas organizadas junto a COSEGUE – Comissão Nacional de Prevenção da Violência nos Espetáculos Esportivos. O Ministério, especialmente os servidores da Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, estão de luto pela “Silvinha”, que sempre esteve disposta a contribuir com o seu conhecimento na promoção da cultura de paz nos estádios de futebol. O Ministério do Esporte se solidariza com amigos e familiares.

– A Anatorg fez uma homenagem em seu site

Luto na Anatorg

O final de semana foi muito triste para o futebol paulista. No domingo 11/1/2015 faleceu a dra. Sílvia Carbonaro, membra da CONSEGUE do Ministério do Esporte, advogada da Torcida Mancha Alvi-Verde e diretora jurídica da ANATORG (Associação Nacional das Torcidas Organizadas).

Foi uma perda muito sentida não apenas pela família, mas para todas as torcidas organizadas em geral.

Ela tinha o apreço de dirigentes e componentes de torcidas organizadas de todo o Brasil, inclusive de principais rivais.

Sempre solícita, a dra. Sílvia nunca se negou a prestar assessoria para toda e qualquer entidade que viesse a procurá-la, seja no seu dia-a-dia pessoalmente, seja em eventos do Ministério do Esporte ou até mesmo nas grandes redes nas quais estava presente.

Ficam nestas simples palavras nossos pêsames, desejamos toda a força do mundo aos familiares, amigos e os assim como nós, companheiros de trabalho, as torcidas organizadas no Brasil hoje perdem mais um ícone.

Valeu por você existir, Dra. Silvia!!!!!

E veja daí de cima o quanto você é querida por todos.

Veja também...


Criado e desenvolvido por Claudio Melo