O maior bandeirão do mundo

Por: Torcida Mancha -

Paulo Serdan foi um visionário. Logo após assumir a presidência da Mancha Verde, no final de 1991, ele teve a ideia de fazer o maior bandeirão do mundo. Mas não apenas um bandeirão. E sim a maior bandeira do mundo.

O maior bandeirão do mundo - Torcida Mancha Alvi Verde - Sociedade Esportiva Palmeiras

A Mancha tinha que ser a melhor em tudo. A Mancha começava a estipular um padrão de qualidade. Não bastava somente fazer. Tinha que fazer, mas sendo a melhor e nesse caso a maior também.

– 80 X 40

– 300 litros de tintas

– 22 mil dólares investidos

– 4 semanas na costureira

– 2 semanas pintando

Foi uma loucura! Era pano que não acabava mais! E foram muitas as semanas nas quais íamos e vínhamos da costureira, e lá era um verdadeiro desafio encontrar a máquina de costura dela em meio a tanto pano… Demorava pelo menos uns 15 minutos para isso!

Ainda sem o desenho, abrimos a primeira vez o bandeirão nas arquibancadas do Parque Antártica. Quem estava ali naquele dia teve a convicção de que a Mancha estava criando a história. Foi algo inexplicável. O tecido branco tomava conta de toda a arquibancada central do Parque e escorria tecido para o fosso, não dava para esticá-la inteira. Foi emocionante!!!

O DESENHO

Tinha que ser algo que desse impacto para uma bandeira desse tamanho.

O Turuna fez o desenho em um papel sulfite!

E o básico foi o essencial:

– A bandeira teria o Mancha e o símbolo do Palmeiras;

– O Mancha com uma lata de spray;

– Escrito Mancha Verde – Fundada em 11/01/83;

– O símbolo gigante do Palmeiras ao centro;

– No fundo o muro;

– E a tacada de mestre foi o símbolo escorrido, que acabou virando o símbolo da torcida, daí surgiram as gotas abaixo do símbolo.

 

O maior bandeirão do mundo - Torcida Mancha Alvi Verde - Sociedade Esportiva Palmeiras

Para colocar isso naquele tecido imenso foi então contratado um pintor, um cara que trabalhava em uma gráfica, na rua da sede mesmo. Ele era metade japonês, metade boliviano… E riscava demais!

Fez o desenho com total perfeição. A cópia exata do desenho do Turuna!

O Palmeiras cedeu o salão de festas do clube para pintarmos. Foi feito um mutirão, passamos duas semanas entre riscar e pintar. Tínhamos a missão de finalizar antes do último jogo da final.

A imprensa chegou a fazer matéria no jornal e na TV enquanto o bandeirão era feito!

O Palmeiras realizava treinos no Parque Antártica e certa tarde um dos atletas apareceu no salão de festa para ver a bandeira. Chegou sozinho e de forma discreta, chamou o Paulo Serdan e disse que nunca tinha visto algo igual e gostaria de ajudar financeiramente. O Paulinho explicou que já estava pago com o dinheiro da torcida, inclusive o Sergio Pellegrini emprestou 12 mil dólares, mesmo assim ele insistiu, tirou o talão de cheque e preencheu com uma quantia simbólica. Sentimento de reconhecimento de um atleta, de um jogador de futebol, sentimos o respeito para com a torcida. Cuca, você foi e continua sendo importante para o Palmeiras!

A ESTREIA DO BANDEIRÃO

O primeiro jogo da final do Campeonato Paulista de 1992. Chegamos à final contra o São Paulo.

E nós, ao menos, vimos um Palmeiras jogar com vontade os dois jogos dessa final. Apesar da derrota, o segundo jogo foi marcante, além da garra e vontade que o time jogou, tivemos a estreia do bandeirão!

Nós estávamos escalados com César, Mazinho, Toninho, Edinho e Dida. No meio campo Sampaio, Daniel Frisson, Carlinho (Maurílio) e o Zinho.  E na frente Evair e Cuca.

O técnico era Otacílio Gonçalves, o Chapinha.

E ainda tinha noventa mil pessoas “jogando junto essa final” nas arquibancadas do Morumbi, em cinco de dezembro de 1992.

O maior bandeirão do mundo!

Foi a primeira vez que o mostramos… E que mais uma vez mostramos a nossa diferença, irreverência, grandeza. O nosso poder!

O maior bandeirão do mundo - Torcida Mancha Alvi Verde - Sociedade Esportiva Palmeiras

O negócio era enorme mesmo e o abrimos lateralmente. Nem tínhamos noção de como segurá-lo, deixá-lo esticado!  Foi um desesperado para não enrolar, o Moacir Bianchi segurava uma ponta do bandeirão e corria para não deixar cair no andar inferior. Aliás, ele quase caiu, mas resistiu…

As duas torcidas ficaram atônitas olhando aquele bandeirão.

GUINNESS BOOK

O Banha, um gordão cabeludo, era outra das figuras da Mancha. O Banha tinha uns contatos e através dele conseguimos chegar no Guinness Book.

Basta encontrar o exemplar de 1994 e ir até a página 239 que constatará: O MAIOR BANDEIRÃO DO MUNDO É DA MANCHA VERDE.

Curiosidades:

– O maior bandeirão do mundo tinha as medidas de dois gomos do Morumbi. Mesmo assim abrimos ele no Pacaembu algumas vezes;

O maior bandeirão do mundo - Torcida Mancha Alvi Verde - Sociedade Esportiva Palmeiras

– Passamos a abrir o bandeirão de baixo para cima;

– Era necessário um caminhão para leva-lo aos jogos;

– Cerca de 300 pessoas para carregar o bandeirão;

– O bandeirão subia após a terceira vez que cantávamos: “chora gambá imundo, nossa bandeira é a maior do mundo”, que virou o canto de “guerra” toda vez que íamos abri-la;

– O tecido foi comprado em Americana e o filho do dono da empresa era da Mancha;

– Para costurar ou lavar o maior bandeirão do mundo, só era possível na Academia da S. E. Palmeiras;

O maior bandeirão do mundo - Torcida Mancha Alvi Verde - Sociedade Esportiva Palmeiras

– Após o pedido de extinção da Mancha em 1995, o bandeirão foi para um depósito e lá, com o tempo, seu tecido foi se desgastando e o bandeirão destruído;

– Devido ao sucesso, o maior bandeirão do mundo foi até foto de cartão telefônico da extinta Telemar;

O maior bandeirão do mundo - Torcida Mancha Alvi Verde - Sociedade Esportiva Palmeiras

– Em 2015, foi feita uma réplica do bandeirão (com tamanhos mais modestos). Afinal, o maior do mundo… Só existe um.

O maior bandeirão do mundo - Torcida Mancha Alvi Verde - Sociedade Esportiva Palmeiras

Clique aqui e conheça mais momentos marcantes da nossa história.

Veja também...


Criado e desenvolvido por Claudio Melo